Daily the latest News in flag wave deflag wave ukflag wave frflag wave br

  • Startseite
  • Renault
  • News
  • Notícias 2021
  • Faturamento do primeiro trimestre é favorecido pela disciplina de preços em um contexto ainda perturbado pela pandemia
Sonntag, 25 April 2021 19:33

Faturamento do primeiro trimestre é favorecido pela disciplina de preços em um contexto ainda perturbado pela pandemia

geschrieben von Projekt-Renault
Artikel bewerten
(0 Stimmen)
  • O faturamento do Grupo Renault chegou a 10 bilhões de euros (-1,1%) no primeiro trimestre de 2021. Com taxas de câmbio comparáveis, a alta teria sido de 4,4%.
  • O faturamento da Divisão Automotiva, com exceção da AVTOVAZ, ficou estável em 8,6 bilhões de euros. O fato relevante do trimestre é o efeito dos preços, que foi positivo em mais de seis pontos graças à nova política comercial do plano estratégico “Renaulution”.
  • As vendas mundiais do Grupo tiveram alta de 1,1%, para 665.038 veículos no primeiro trimestre.
  • A marca Renault vendeu 42.951 veículos elétricos e híbridos no primeiro trimestre de 2021. A partir do segundo trimestre, a Renault oferecerá três novas opções de motores E-Tech híbrido e híbrido recarregável.
  • A Dacia registrou uma boa performance de seus novos modelos. O lançamento do Novo Sandero com mais de três meses de vendas no portfolio é um sucesso. O Novo Dacia Spring, primeiro veículo elétrico da marca, já registrou quase 10.000 pré-vendas.

RESULTADOS COMERCIAIS: FATOS RELEVANTES DO PRIMEIRO TRIMESTRE

O Grupo Renault, em um contexto ainda perturbado pela pandemia, vendeu 665.038 veículos no primeiro trimestre de 2021, em alta de 1,1% em comparação com o primeiro trimestre de 2020. Este início de ano confirma o impacto positivo da política comercial do Grupo com foco na lucratividade, com um efeito dos preços de mais de seis pontos. Além disso, o Grupo está avançando nos canais de vendas mais rentáveis.

Marca Renault

A marca Renault vendeu 433.662 veículos no primeiro trimestre de 2021, em alta de 1,3% em comparação com o primeiro trimestre de 2020.

Na Europa, o mercado avançou 3,9%, sustentado pela dinâmica do mercado de veículos utilitários. Neste contexto, a marca Renault vendeu 250.163 veículos (+2,7%).

No mercado de veículos de passeio na Europa, as versões elétricas e eletrificadas da marca Renault representam 23% de seus emplacamentos. Após a chegada do Twingo E-Tech Electric, a marca Renault continua expandindo sua gama, com a chegada no segundo trimestre do novo Arkana E-Tech híbrido, novo Captur E-Tech híbrido e novo Mégane hatch E-Tech híbrido recarregável.

Fora da Europa, a Renault se concentra nos segmentos mais rentáveis: na Índia, a marca foi bem-sucedida no lançamento do novo Kiger no segmento em forte crescimento dos SUV compactos; na Rússia, o novo Duster é comercializado desde o mês de março e está tendo um lançamento pujante, com um elevado mix de versões.

Marcas Dacia e Lada

A marca Dacia vendeu 121.231 veículos (+10,2%), graças ao sucesso do lançamento do Novo Sandero e à boa performance das vendas de Duster. O Novo Dacia Spring 100% elétrico promete ser um sucesso, tendo em vista o volume de pré-vendas já feitas.

A marca Lada vendeu 90.472 veículos com uma boa performance no mercado russo (+5,4%), alavancada pelos modelos Granta, Vesta e o lançamento bem-sucedido do NIVA Travel.

FATURAMENTO DO TRIMESTRE POR SETOR OPERACIONAL

No primeiro trimestre de 2021, o faturamento do Grupo atingiu 10.015 milhões de euros (-1,1%). Com taxas de câmbio e perímetro constantes1, a alta teria sido de 4,4%.

O faturamento da Divisão Automotiva com exceção da AVTOVAZ ficou em 8.566 milhões de euros, em retração de 0,3%. Além da variação dos estoques, que explica a maior parte do impacto negativo dos volumes (-6,5 pontos), o faturamento foi penalizado por um efeito negativo das taxas de câmbio de 4,3 pontos.

O efeito dos preços foi altamente positivo (+6,3 pontos), ilustrando a nova política comercial implementada com o plano estratégico Renaulution.

As vendas do Zoe, Twingo E-Tech Electric e o dinamismo da demanda de veículos utilitários contribuíram para o efeito positivo de 2,4 pontos do mix de produtos.

A contribuição da AVTOVAZ para o faturamento do Grupo ficou em 685 milhões de euros no trimestre, em queda de 2,3%. Com taxas de câmbio e perímetro constantes1, teria havido uma alta de 20,9%. 

Os Serviços de Mobilidade contribuíram à altura de 5 milhões de euros, contra 6 milhões de euros no 1º trimestre de 2020.

A Divisão de Financiamento das vendas (RCI Bank & Services) realizou um faturamento de 759 milhões de euros no trimestre, um recuo de 8,2% em comparação com 2020, em razão da queda da atividade da rede de concessionárias e um efeito negativo das taxas de câmbio, de 24 milhões de euros. O número de novos contratos de financiamento caiu 10,9%. A média dos ativos produtivos totalizou 45,9 bilhões de euros no fechamento de março de 2021, uma queda de 6,9% em comparação com o primeiro trimestre de 2020.

Em 31 de março de 2021, os estoques totais (incluindo a rede de concessionárias independente) representavam 487.000 veículos, contra 661.000 no fechamento de março de 2020, uma queda de 26%.

FATURAMENTO CONSOLIDADO DO GRUPO RENAULT

(em milhões de euros)

2020

2021

Variação 2021/2020

1º trimestre

Divisão Automotiva exceto AVTOVAZ

8.591

8.566

-0,3%

AVTOVAZ

701

685

-2,3%

Serviços de Mobilidade

6

5

-16,7%

Financiamento das Vendas

827

759

-8,2%

Total

10.125

10.015

-1,1%

Para analisar a variação do faturamento consolidado com taxas de câmbio e perímetro constantes, o Grupo Renault recalcula o faturamento do exercício corrente aplicando a média das taxas de câmbio anuais do exercício anterior e excluindo as variações significativas de perímetros ocorridas durante o exercício fiscal.

TOTAL DAS VENDAS DO GRUPO POR MARCA

VEÍCULOS DE PASSEIO (VP) E UTILITÁRIOS (VU)

 

2020

Acumulado no fechamento de março de 2021

% variação

 

RENAULT

353.821

337.391

-4,6

VP

VU

74.341

96.271

+29,5

VP + VU

428.162

433.662

+1,3

 

RENAULT SAMSUNG MOTORS

VP

19.535

12.227

-37,4

 

DACIA

101.793

110.220

+8,3

 

VP

 

VU

8.248

11.011

+33,5

 

VP + VU

110.041

121.231

+10,2

 

LADA

87.908

88.068

+0,2

 

VP

 

VU

2.634

2.404

-8,7

 

VP + VU

90.542

90.472

-0,1

AVTOVAZ

     
 

VP

4.280

115

-97,3

 

ALPINE

VP

367

423

+15,3

 

JINBEI & HUASONG*

852

22

-97,4

 

VP

 

VU

3.890

6.407

+64,7

 

VP + VU

4.742

6.429

+35,6

 

EVEASY

VP

-

479

+++

 

TOTAL GRUPO RENAULT

568.556

548.945

-3,4

 

VP

 

VP

89.113

116.093

+30,3

 

VP + VU

657.669

665.038

+1,1

               
*Com exceção da Shineray

15 PRINCIPAIS MERCADOS DO GRUPORENAULT

NO FECHAMENTO DE MARÇO DE 2021

 

Acumulado no fechamento de março de 2021

Volumes(1)

(unidades)

Penetração VP + VU

(em %)

1

FRANÇA

135.957

24,21

2

RÚSSIA

114.272

29,68

3

ITÁLIA

41.969

8,54

4

ALEMANHA

40.230

5,55

5

BRASIL

33.186

6,69

6

ÍNDIA

31.608

2,97

7

TURQUIA

28.857

14,53

8

ESPANHA + CANÁRIAS

26.674

11,77

9

MARROCOS

17.657

39,98

10

REINO UNIDO

16.638

3,17

11

BÉLGICA E LUXEMBURGO

14.616

9,32

12

COREIA DO SUL

13.129

3,11

13

COLÔMBIA

11.774

22,31

14

POLÔNIA

11.256

8,30

15

ARGENTINA

11.240

10,14

(1) Faturamento exceto Twizy

Sobre o Grupo Renault

O Grupo Renault está na vanguarda de uma mobilidade que ele próprio está reinventando.

Fortalecido por sua aliança com a Nissan e a Mitsubishi Motors e sua expertise única em eletrificação, o Grupo Renault compreende 5 marcas complementares – Renault, Dacia, LADA, Alpine e Mobilize –, oferecendo soluções de mobilidade inovadoras e sustentáveis para os seus clientes. Presente em mais de 130 países, o Grupo emprega atualmente mais de 180.000 colaboradores, tendo vendido 2,95 milhões de veículos em 2020.

Preparado para enfrentar desafios tanto nas ruas como nas competições, o Grupo Renault tem um compromisso com uma transformação ambiciosa, que vai gerar valor. Este compromisso tem como foco o desenvolvimento de novas tecnologias e serviços e uma nova gama de veículos ainda mais competitivos, equilibrados e eletrificados. Alinhada com os desafios ambientais, a ambição do Grupo é atingir a neutralidade de carbono na Europa até 2050.

Gelesen 128 mal